Dissertação defendida no PPGLI aborda obra “Seringal”, de Miguel Ferrante

Ocorreu na tarde de hoje, 13, a defesa pública de dissertação do mestrando Aluízio Oliveira de Souza, intitulada “Leituras Deleuzianas de Seringal, de Miguel Ferrante”.

Participaram da Banca Examinadora o Prof. Dr. Gerson Rodrigues de Albuquerque – Presidente/Orientador, a Profa. Dra. Juciane dos Santos Cavalheiro – Examinadora Externa (UEA) e a Profa. Dra. Maria de Nazaré Cavalcante de Sousa – Examinadora .Externa (UFAC)

Convite

Convite Defesa aluízio.jpg

Ufac realiza abertura da 13ª edição das Jalla

Publicado: 08/08/2018 11h12,Última modificação: 08/08/2018 11h12

A Universidade Federal do Acre (Ufac) realizou a abertura das Jornadas Andinas de Literatura Latino-Americana (Jalla), na noite dessa segunda-feira, 6, no anfiteatro Garibaldi Brasil, com a solenidade inaugural “La Cultura es Roja, y Nadie Puede Quitarle ese Color”, com Lucia Lorenzini, e a conferência “Qué Significa Pensar desde Amerindia?”, de Juan Jose Bautista Segales, da Universidade Nacional Autônoma do México.

O evento se estende até sábado, 11. Em sua 13ª edição, aborda o tema “Éticas e Poéticas dos Mundos Andinos-Amazônicos: Trânsitos de Saberes, Linguagens e Culturas”. Para a coordenadora do congresso, Raquel Ishii, trazer o eixo de difusão acadêmica e científica para o Acre produz impactos na graduação, pós-graduação e na construção de conhecimento científico. “Deslocar a produção de conhecimento mostra que temos as mesmas condições intelectuais, mesmo com todas as dificuldades, de realizar um evento desse porte no Acre”, comentou.

De acordo com o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Josimar Batista, a realização das Jalla na Ufac representa uma oportunidade de crescimento para alunos, professores e pesquisadores, através do contato com renomados pesquisadores das mais variadas instituições de ensino do Brasil e da América Latina. “A partir da realização da 65ª Reunião Anual da SBPC [Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência], em 2014, a Ufac despontou como uma instituição forte e capacitada para receber grandes eventos”, lembrou.

O presidente das Jalla-2018, Gerson Albuquerque, explica que o evento acontece em um contexto político instável, de violentos processos de segregação, mortes e sofrimentos aos povos de várias partes do mundo. “O congresso é um convite à partilha, ao encontro, a diálogos, afetos e reflexões”, disse.

O evento conta com 813 inscritos de diversos países; visa promover a troca mútua de ideias e reflexões sobre as literaturas latino-americanas. Durante a semana, serão realizados simpósios temáticos, conferências e comunicações livres, além de exposições de cerâmica, artes plásticas e fotografia.

As Jalla são promovidas pelo programa de pós-graduação em Letras: Linguagem e Identidade, com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Conselho de Missão entre Povos Indígenas (Comin).

Fonte: www.ufac.br

Programação Oficial

Cartaz Jalla Oficial

6 de agosto – Segunda-feira

9h às 20h – Credenciamento e Inscrições
Local: Centro de Convivência (Próximo ao Restaurante Universitário)

17h – Abertura de Exposição de Cerâmica e Artes Plásticas Apurinã
Local: Centro de Convivência

19h – Solenidade Inaugural – “La cultura es roja, y nadie puede quitarle ese color”, com Lucia Lorenzini – Itália.
Local: Anfiteatro Garibaldi Brasil

20h – Conferência “Qué significa pensar desde Amerindia?”, com Juan Jose Bautista Segales (Universidad Nacional Autónoma de México – UNAM)

7 de agosto – Terça-feira

9h às 13h – Simpósios Temáticos (STs) e Sessões de Comunicações Livres
Locais: Salas de aula (ver Caderno de Programação)

15h às 17h – Sessão Temática “Antonio Melis sigue hablándonos”, com:
Elizabeth Monasterios (University of Pittsburgh – USA)
Guillermo Mariaca Iturri (Universidad Mayor de San Andrés – Bolívia)
Marco Thomas Bosshard (Europa-Universität Flensburg – Alemanha )
Maria del Rosario Rodríguez Márquez (Universidad Mayor de San Andrés – Bolívia)
Mauricio Hugo Ostria González (Universidad de Concepción – Chile)
Riccardo Badini (Università di Cagliari – Itália)
Local: Anfiteatro Garibaldi Brasil

17h às 19h – Atividades artísticas

Abertura de Exposição Coletiva de Artes Plásticas e Fotografias
Dalmir Ferreira, Danilo de S’Acre, Isaac Melo e Uelinton Santana.
Local: Hall do Bloco da Pós-Graduação

17h às 18h – Algunas Parlas poéticas del Lugar, com César Félix, Quílrio Farias, Nilda Dantas e Francis Mary.
Local: Auditório da Pós-Graduação

18h às 19h – Shows voz/violão Composiciones en la Amazonía: Clenilson Batista, Getúlio Moreno e Kelen Mendes
Local: Centro de Convivência (Próximo ao Restaurante Universitário)

19h às 20h30– Conferência “JALLA 25 años: una semilla andina en el corazón de la Amazonía”, com Guillermo Mariaca Iturri (Universidad Mayor de San Andrés – Bolívia)
Local: Anfiteatro Garibaldi Brasil

8 de agosto – Quarta-feira

9h às 13h – Simpósios Temáticos (Sts)
Local: Salas de aula (ver Caderno de Programação)

14h às 15h – Sessão de Cinema – Visualidades Amazônicas
Filme: O Mergulho, de Silvio Margarido
Local: Sala de Videoconferência – Bloco da Pós graduação

15h às 17h Sessão Temática “Cartografias de memórias, corpos e vozes em lutas pela terra nas Amazônias – 30 anos após o assassinato de Chico Mendes”, com Dercy Teles (Sindicalista e Trabalhadora Rural de Xapuri – Brasil) e Osmarino Amâncio (Sindicalista e Trabalhador Rural de Brasiléia – Brasil)
Local: Anfiteatro Garibaldi Brasil

20h – Espetáculo Teatral “Kanarô” (Cia de Teatro Vivarte)
Local: Teatro de Arena do SESC

9 de agosto – Quinta-feira

9h às 13h – Simpósios Temáticos (STs) e Sessões de Comunicações Livres
Local: Salas de aula (ver Caderno de Programação)

14h às 15h – Sessão de Cinema – Visualidades Amazônicas
Filme: O Mundo entre as Pontes, de Ney Ricardo da Silva
Local: Sala de Videoconferência – Bloco da Pós-Graduação

15h às 17h – Oficinas (ver Caderno de Programação)
Local: Salas de aula do Bloco Wanderley Dantas (Letras/Inglês) e Nely Catunda (Letras/Francês)

17h – Atividades Artísticas
Lançamento coletivo de livros
Caiçumada com o Centro Huwa Karu Yuxibu
Coquetel
Local: Centro de Convivência (Próximo ao Restaurante Universitário)

19h – Conferência “Tendências do romance contemporâneo na América Central”, com Albino Chacón Gutiérrez, Universidad Nacional de Costa Rica
Local: Anfiteatro Garibaldi Brasil

10 de agosto – Sexta-feira

9h às 13h – Simpósios Temáticos (STs) e Sessões de Comunicações Livres
Local: Salas de aula (ver Caderno de Programação)

14h às 15h – Sessão de Cinema – Visualidades Amazônicas
Filme 1:Arqueologia do Recente-Ensaios e Impertinências, de Danilo de S’Acre
Filme 2: Sem vida, sem morte, sem nada, de Gerson Albuquerque
Local: Sala de Videoconferência – Bloco da Pós-Graduação

15h – Sessão Temática “A literatura oral indígena e o desafio da formação intercultural”, com:
Jaider Esbell Macuxi (Roraima – Brasil)
Joaquim Maná Kaxinawa (Acre – Brasil)
Maria Inês de Almeida (Universidade Federal de Minas Gerais – Brasil)
Local: Anfiteatro Garibaldi Brasil

17h às 18h30 – Atividades Artísticas
Grupo de Improvisação Livre (GIL), com Artur José, Deivid Menezes, João Araújo, Dyonnatan Silva, Marcelo Messina, Carlos Eduardo, Carlos A. Benjamin, João Veras.
Local: Centro de Convivência (Próximo ao Restaurante Universitário)

19h – Conferência “Flujos, entramados, operaciones culturales: África en América”, com Ana Pizarro (Universidad de Santiago de Chile)
Local: Anfiteatro Garibaldi Brasil

20h – Sessão de Encerramento
Local: Anfiteatro Garibaldi Brasil

22h – Show Musical – A Volta dos que ainda não foram, com Los Alquimistas. Pré-show: Pedro Albuquerque.
Local: Studio Beer

Caderno de Programação STs e Cls

Conferencistas de diversas nacionalidades estarão presentes no congresso Jornadas Andinas

Cartaz Jalla OficialA 13º edição das Jornadas Andinas de Literatura Latinoamericana (JALLA), acontece de 6 a 11 de agosto, com o tema “Éticas e poéticas dos mundos andinos-amazônicos: trânsitos de saberes, linguagens e culturas”. O evento será realizado no campus da Universidade Federal do Acre, em Rio Branco. O evento é promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade, com o apoio do CNPq, CAPES e Conselho de Missão entre Povos Indígenas (COMIN), o JALLA visa promover a troca mútua de ideias e reflexões sobre as literaturas latinoamericanas.

Durante os dias do evento, muitas serão as atividades que irão movimentar os congressistas. Na abertura, dia 6 de agosto, será realizada a conferência Qué significa pensar desde Amerindia?, com o filósofo boliviano Juan José Bautista. Doutor em filosofia pela Universidad Mayor de San Andrés, e em Ciências Sociais pela Universidad Nacional Autónoma de México, Bautista é um conferencista habitual em diversas universidades e eventos educativos.

Lucia Lorenzini irá comparecer para a solenidade inaugural La cultura es roja, e nadie puede quitarle ese color. Lorenzini possui licenciatura em literatura pela Universidade de Siena, e defendeu tese em Literatura Comparada, com o título “Presenças hispanoamericanas na obra de Italo Calvino”. A participação de Lorenzini acontecerá também no dia 6 de agosto em sessão de homenagem a António Melis, Secretário das Jallas falecido em 2016.

Estará presente ainda, a professora e pesquisadora da Universidade de Santiago do Chile, Ana Pizarro. Doutora em letras pela Universidade de Paris, Pizarro é especialista na literatura latinoamericana, e possui reconhecimento internacional. Sua conferência intitula-se Flujos, entramado, operaciones culturales: África en América e acontecerá no dia 10 de agosto.

Para a sessão temática Cartografias de memórias, corpos e vozes em lutas pela terra nas Amazônias – 30 anos após o assassinato de Chico Mendes, Dercy Teles e Osmarino Amâncio, estarão presentes. Os mesmos foram companheiros de Chico Mendes na luta dos seringueiros. Dercy foi a primeira presidente de um Sindicato de Trabalhadores Rurais, em Xapuri (AC). Osmarino é membro do Sindicato de Trabalhadores Rurais desde sua criação, e acompanhou Chico em seus principais embates. Essa sessão temática acontece dia 8 de agosto.

Além destes, diversos conferencistas de renome internacional estão confirmados para o congresso.

Mais informações estão disponíveis no site https://www.jalla2018.org ou através do email jallamazonia@gmail.com.

Jornadas Andinas recebe exposição de artista Apurinã

Este slideshow necessita de JavaScript.

Durante a 13º edição das Jornadas Andinas de Literatura Latinoamericana (JALLA), que acontece de 6 a 11 de agosto em Rio Branco (AC), estará aberta a exposição de cerâmicas e artes plásticas, onde serão expostas as artes de Sanypa Apurinã, artista indígena Apurinã.

A artista Sanypa, que na língua Apurinã significa caba pequena, em português é chamada Maria Antonia Souza Silva. Nasceu na terra indígena Camadeni, em 1979 e permaneceu na aldeia até os dois anos. Passou os anos seguintes na cidade de Manaus (AM). “Até os 13 anos eu não tinha o conhecimento da minha identidade cultural, eu nem mesmo sabia que era indígena, quando minha mãe faleceu fui chamada para uma reunião na chácara do Cimi  Xary em Manaus”, comenta a artista.

Somente em 2001, após falecimento de sua mãe, começou a freqüentar reuniões sobre indígenas urbanos, e a partir daí foi convidada a participar do Movimento dos Estudantes Indígenas do Amazonas (MEIAM).

Através do MEIAM participou de oficinas no Instituto Dirson Costa de Arte e Cultura Amazônica, e posteriormente formou-se em artes plásticas sobre telas.

Realizando estudos e pesquisas sobre sua identidade, retornou para sua terra natal, Pauini. Atualmente sua arte é destinada a pintura em cascos de tracajá e ouriços de castanhas, devido à dificuldade para encontrar materiais.

A exposição irá acontecer no hall da biblioteca do campus da Universidade Federal do Acre (Ufac), de 6 a 11 de agosto. Mais informações podem ser obtidas no site https://www.jalla2018.org ou através do email jallamazonia@gmail.com.

 

Equipe das Jornadas Andinas está pronta para receber congressistas

Manhã.jpg

Equipe da manhã

A 13ª edição das Jornadas Andinas de Literatura Latinoamericana (JALLA), que acontece de 6 a 11 de agosto na Universidade Federal do Acre (Ufac), já possui comissão de organização completa e pronta para receber seus congressistas. Com a intenção de garantir o bom andamento do congresso, foram designados 62 monitores, alunos de graduação e de pós-graduação em Letras, para auxiliarem durante os simpósios temáticos, sessões de comunicação livre, oficinas, entre outras funções.

Para capacitar os monitores, a coordenação do JALLA disponibilizou o curso de “Espanhol para eventos internacionais” por meio do programa Idiomas sem Fronteiras (IsF). Como forma de estímulo aos alunos, as coordenações dos cursos de Inglês e Letras – Francês concederam liberação de suas atividades para a participação no evento.

Sobre o evento

A 13º edição das Jornadas Andinas de Literatura Latinoamericana (JALLA), acontece de 6 a 11 de agosto, com o tema “Éticas e poéticas dos mundos andinos-amazônicos: trânsitos de saberes, linguagens e culturas”, a ser realizada no campus da Universidade Federal do Acre, em Rio Branco no Acre. O evento é promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade, com o apoio do CNPq, CAPES e Conselho de Missão entre Povos Indígenas (COMIN). O evento visa promover a troca mútua de idéias e reflexões sobre as literaturas latinoamericanas.

tarde.jpg

Equipe da tarde

Informações gerais podem ser obtidas no site (https://www.jalla2018.org) ou através do email (jallamazonia@gmail.com).

Assessoria do JALLA – 2018.

Ana Souza.