Episódio 5 do Entre Rios – Podcasts PPGLI no ar!

Série Entrevistas PPGLI – Conversa com o professor Marcello Messina (PPGLI/Ufac/UFPB) Ep 6 Entre Rios

Neste episódio, conversamos com o Marcello Messina (PPGLI/Ufac/UFPB), autor do verbete "Atraso", publicado no Dicionário Analítico Uwakuru, em 2016, pela Editora Nepan. Entrevistador: Jorge William Equipe Técnica: Maiara Rio Branco, Raquel Ishii.
  1. Série Entrevistas PPGLI – Conversa com o professor Marcello Messina (PPGLI/Ufac/UFPB) Ep 6
  2. Série Entrevistas PPGLI – Conversa com o professor Francisco Bento da Silva (PPGLI/Ufac) Ep 5
  3. Intervenções Bárbaras – Ep 4
  4. Intervenções Bárbaras – Ep 3
  5. Intervenções Bárbaras – Ep 2

Convite para o lançamento virtual do livro Shuayne: tradições orais, canções e memorias

Nesta quinta-feira,16, às 15h , horário local e ás 17h horário de Brasília, acontece o lançamento virtual do livro Shuayne: tradições orais, canções e memórias. O exemplar é resultado da dissertação de mestrado da autora e pesquisadora do LaBinter, Cristiane de Bortoli e conta com a coautoria de Shuayne (Amaral Brandão Shanenawa), um mestre das canções Shanenawa.

O livro trata de um estudo sobre a poética Shanenawa ou “povo pássaro azul” a partir de canções e narrativas que são atualizadas através das memórias de Shuayne. O lançamento será feito por meio de uma sala no Zoom.

Confira o link: https://us02web.zoom.us/j/86545551908?pwd=NG9Ud3krRExpaGowekxpYk9pdWxTZz09

Neste sábado, 11, ocorre o lançamento do livro Shuayne: tradições orais, canções e memórias 

A trajetória vivenciada pela autora e pesquisadora Cristiane de Bortoli junto aos povos originários Shanenawa.

A cerimônia de lançamento da publicação do livro será realizada no sábado, 11 de dezembro, na Aldeia Shane Kaya, situada no município de Feijó, às 14h.  O livro é fruto da dissertação de mestrado da autora Cristiane De Bortoli, defendida em abril de 2020 no Programa de Pós-graduação em Letras: Linguagem e Identidade da Universidade Federal do Acre (Ufac), sob orientação da professora Maria Inês de Almeida. A obra que vem à público tem como coautor Shuayne ou Amaral Brandão Shanenawa, um mestre das canções Shanenawa.

O evento de lançamento tem por objetivo entregar os exemplares do livro à própria comunidade Shanhe Kaya e ao coautor Shuayne Shanenawa que é patriarca da aldeia. “Faremos o lançamento junto ao mestre Shuayne e a comunidade, com a entrega de exemplares do livro que são destinados ao povo Shanenawa”, explicou a pesquisadora Cristiane De Bortoli.  

livro Shuayne: tradições orais, canções e memórias. Foto: Divulgação

O livro trata de um estudo sobre a poética Shanenawa ou “povo pássaro azul” a partir de canções e narrativas que são atualizadas através da memória do ancião Shuayne, mestre desse conhecimento. 

Segundo a autora, a motivação da pesquisa surgiu a partir da demanda apresentada pela própria comunidade, com a qual trabalha desde 2016. “Havia a necessidade de produzir e divulgar materiais com as canções e histórias do povo Shanenawa, as quais o mestre Shuayne tinha conhecimento e compartilhou conosco”, salientou a autora.

A programação do evento possui atividades destinadas apenas aos membros da comunidade da na Aldeia Shane Kaya e colaboradores da publicação. “Posteriormente o Laboratório de Interculturalidade (LaBinter) do PPGLI/ Ufac organizará o lançamento virtual da publicação aberto ao público em geral, com a presença da comunidade acadêmica e representantes do PPGLI”, disse de Bortoli. “Neste primeiro momento realizaremos a entrega aos principais colaboradores da pesquisa, o povo Shanenawa”, concluiu.

Os exemplares impressos foram editados pela editora do Núcleo de Estudos das Culturas Amazônicas e Pan-Amazônicas (Nepan) e Editora da Universidade Federal do Acre (Edufac). O lançamento do material audiovisual que acompanha o livro Shuayne: Tradições orais, canções e memórias Shanenawa está disponível no Youtube pelo link https://www.youtube.com/watch?v=v69f7TWZx-o .

Você também pode acessar o material audiovisual por meio do Qr code anexado abaixo. Aponte a câmera do seu aparelho celular direto na imagem e, automaticamente, você será direcionado a playlist das canções Shanenawa disponíveis no Youtube.

PPGLI encerra atividades em 2021 com série de defesas de dissertações

Nos dias 28 e 29 de dezembro, o Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade da Universidade Federal do Acre (PPGLI-Ufac) encerrará as atividades do ano com uma série de defesa de mestrado que serão transmitidas via YouTube pelo Canal do Ceprodoc.

No dia 28, terça-feira, às 8h (Acre), a discente Maiara Pinho de Oliveira fará sua defesa de dissertação intitulada: Loucura, louco e louca no estado do Acre: interpelado “notícias” de jornais e outros escritos.

No mesmo dia, às 15h (Acre), será a vez da discente Adicleia Nascimento de Souza que abordará o tema Narrativas sobre a saúde, doenças e curas no Acre Federal e em Manaus (1890 a 1930).

No dia 29, quarta-feira, a discente Vildna Dias da Costa apresentará sua defesa de dissertação, iniciando às 8h (Acre), com o título: Discursos da escola indígena Ixūbãy Rabuĩ Puyanawa: reafirmação/valorização cultural e identitária do povo Puyanawa.

Às 14h (Acre) do mesmo dia, a mestranda Poliana de Melo Nogueira com o título de dissertação: Entre as palavras e as pedras: os fatos de memória e as vivências tecidas por trabalhadores e trabalhadoras do Cemitério São João Batista, em Rio Branco, Acre, realizará sua defesa e finalizará as apresentações do ano de 2021.

As defesas estão ocorrendo de forma on-line devido à pandemia de Covid-19 e podem ser acessadas nos links abaixo:

Maiara Pinho de Oliveira Loucura, louco e louca no estado do Acre: interpelando “notícias” de jornais e outros escritos https://youtu.be/pOyxMLOtW70

Adicleia Nascimento de Souza Narrativas sobre saúde, doenças e curas no Acre Federal e em Manaus (1890 a 1930) https://youtu.be/BHW2TOOMlYs

Vildna Dias da Costa Discursos da escola indígena Ixūbãy Rabuĩ Puyanawa: reafirmação/valorização cultural e identitária do povo Puyanawa https://youtu.be/MUBq0LJZqsw

Poliana de Melo Nogueira Entre as palavras e as pedras: os fatos de memória e as vivências tecidas por trabalhadores e trabalhadoras do Cemitério São João Batista, em Rio Branco, Acre https://youtu.be/-iqDlcVXUus

Na tarde do dia 1º de dezembro, mestranda Ana Beatriz dos Santos realiza apresentação de defesa da dissertação

Na tarde de quarta-feira, 1° de dezembro, a aluna mestranda do Programa de Pós-graduação em Letras: Linguagem e Identidade da Universidade Federal do Acre (Ufac), Ana Beatriz Santos dos Anjos, realizou a defesa de dissertação intitulada Representações do feminino em Terra Caída, de José Potyguara, e  A Confissão da Leoa, de Mia Couto: uma análise comparada e feminista. A apresentação da defesa da mestranda, realizada às 14h (horário local), está disponível por meio link https://www.youtube.com/watch?v=T3NSUAuamE4 

A apresentação contou com a banca avaliadora composta pelos examinadores internos, a professora Dra. Marta Júlia Martins da Universidade Federal de Roraima (UFRR) e do Professor Dr. Miguel Nenené, membro interino do PPGLI da Ufac e docente aposentado da Universidade Federal de Roraima (Unir), além da presença do Professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) e membro do PPGLI, Dr. Yvonélio Nery Ferreira, orientador da mestranda.

Segundo a Ana Beatriz dos Anjos, o objetivo da sua pesquisa era analisar as representações do feminino, que surgem em duas narrativas literárias do gênero textual romance, utilizadas como objeto de estudo. A primeira análise foi do romance Terra Caída, no qual fala sobre a Amazônia Acreana no período do segundo ciclo da borracha, ocorrido no final do século XIX e início do século XX. A segunda obra analisada, A Confissão da Leoa,  traz a narrativa moçambicana, de Mia Couto, e trata sobre o período pós-independência colonial, em 1975, época em que Moçambique entra em uma sucessiva guerra civil.

Como aporte teórico, Ana Beatriz dos Santos fez uso da perspectiva fornecida “pela Crítica Literária Feminista (CLF) e pelo comparatismo solidário”, relatou em sua exposição inicial. 

Foto: Plataforma do Youtube

Dessa forma, as narrativas foram organizadas em seis categorias sendo elas: Representação do silenciada do feminino, representação objetivada do corpo feminino, representação deística do feminino, representação da negação da identidade da mulher, representação do feminino que não reforma dentro dos padrões de gênero patriarcais e representação felina do feminino. 

 Após a apresentação da dissertação pública, realizada pela aluna como critério de obtenção do título de mestre em Letras, foi feita a leitura da ata pelo professor orientador, da decisão de aprovação da aluna Ana Beatriz Santos dos Anjos, feita pelos examinadores presentes. 

“Eu dedico essa pesquisa a minha mãe, que sempre ensinou que minha voz era importante e deveria ser exercitada, ocupando os espaços. Agradeço, também, ao meu pai e esposo que me deram suporte na pesquisa, bem como as figuras femininas da minha família, mulheres fortes e encorajadoras. Muito obrigado a todos que me ajudaram nessa rede de apoio. Sigamos como amantes da literatura.” finalizou a discente. 

II SeLiDH – Seminário de Linguagem e Direitos Humanos (Leituras e Leitores: Interfaces)

Evento Virtual

De 07 a 10 de Dezembro de 2021