Carta Aberta da Anpoll

A Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística vem a público expressar sua profunda preocupação com os desenvolvimentos recentes que tocam a ciência e o ensino no Brasil. No âmbito do Poder Executivo, a fusão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação com o das Comunicações prejudicará significativamente o avanço da pesquisa no país, incluindo em especial a área das ciências humanas.

Confira o restante da carta aqui: Carta Aberta da Anpoll

Literatura infanto-juvenil é tema de dissertação defendida no PPGLI

Ocorreu na tarde do dia 31 de maio, a defesa pública da dissertação do mestrando Márcio Adriano Chocorosqui intitulada “Ecos discursivos e ideológicos nos Recontos de Vovó Amazônia e nas Aventuras de Tizinho”.

Participaram da Banca Examinadora o Prof. Dr. João Carlos de Souza Ribeiro – Presidente/Orientador – UFAC, o Prof. Dr. Gerson Rodrigues de Albuquerque – Membro – UFAC e a Profa. Dra. Gisela Maria de Lima Braga Penha – Membro – UFAC

AMAZONIALISMO É TEMA DE CONFERÊNCIA DURANTE A PAN-AMAZÔNICA 

Publicado em 02-06-2016 às 14:59 h

Seminário-Pan-Amazônica-e-Áfricas-Gerson-Rodrigues-Foto-Sidney-Oliveira-1-1024x700Na manhã desta quinta-feira, dia 02, durante a programação da XX Feira Pan-Amazônica do Livro, foi realizado o seminário “Pan-Amazônia e Áfricas: terras (Des) Colonizadas”, com a conferência “Descolonização da Pan-Amazônia e de África: Projeto Inconcluso”, proferida pelo historiador e doutor em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Gerson Rodrigues de Albuquerque, falando sobre o Amazonialismo como parte do projeto colonial moderno, que difundiu a noção de vazio para inventar regiões essencializadas, a exemplo de África, Oriente, América, Brasil, e a própria Amazônia.

O historiador falou ainda sobre os conceitos de Amazônia, Amazônia Legal e Pan-Amazônia, que perpassam a literatura de viagem, naturalizando-se na lógica do estado republicano que sempre procurou integrar esta região do Brasil com intervenções que contam com o amparo de empresas nacionais e internacionais ávidas pela exploração e mercantilização da natureza. “Desenvolvimento sustentável, economia verde, redução de emissões decorrentes de desmatamento florestal, exploração de gás e petróleo, usinas hidrelétricas, a Pan-Amazônia como um todo é um prato cheio nos tempos atuais”, enfatiza.

Para Sulivan Souza, mestrando em Educação da UEPA, a importância da conferência está em refletir a cerca da identidade amazônica. “Se fala muito de Amazônia, amazônida, Pan-Amazônia, mas não temos a consciência do que de fato significa. Acredito que o evento vem para discutir a nossa história, a nossa identidade, o nosso espaço e tempo dentro disso”, afirma o estudante.

A programação do Seminário segue até amanhã, dia 03.

Confira:

Sexta-feira – 03/06 (10h30 às 12h30)

Mesa: Literatura e Colonialidade

Luis Heleno Montoril/ Marinilce Oliveira Coelho/ Rodrigo Wanzeler

(14h30 às 16h30)

Mesa: Literatura e inflexão irredutível da modernidade: Pan-Amazônica e áfrica

Mayara Ribeiro Guimarães/ Rafaelle Servius-Hamois/ Rosa E. Acevedo Marin

(16h30 às 18h30)

Mesa: Literatura do Exílio, do apatriada, do refugiado

Agenor Sarraf Pacheco/ Celso Antonio Coelho Vaz/ Ernani Pinheiro Chaves

 

Por Nátia Machado | Foto: Sidney Oliveira

Ascom Feira do Livro

 

Professor da Ufac apresenta conferência durante Feira Pan-Amazônica do Livro

O professor Gerson Albuquerque, coordenador do programa de pós-graduação em Letras: Linguagem e Identidade, da Universidade Federal do Acre (Ufac), participa, na próxima quinta-feira, 2, da 22ª Feira Pan-Amazônica do Livro, evento que ocorre em Belém desde o dia 27 de maio e termina em 5 de junho.

Albuquerque abrirá o seminário “Pan-Amazônia e Áfricas: terras [des]colonizadas”, com a conferência “Descolonização da Pan-Amazônia e de África: Projeto Inconcluso”. O pesquisador atende ao convite da Secretaria de Cultura do Estado do Pará, por indicação da professora Rosa Acevedo, do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (Naea).

O tema da conferência reflete discussões e pesquisas desenvolvidas pelo professor há dez anos junto ao mestrado em Letras. De acordo com ele, embora se afirme uma autonomia e independência política em relação aos impérios econômicos internacionais, África e Amazônia permanecem subordinadas na prática.

“Destaco o quanto estes dois significantes, Amazônia e África, foram inventados a partir de narrativas colonizatórias que foram naturalizadas ao longo dos séculos, a ponto de milhares de pessoas reproduzirem os mesmos clichês e estereótipos acerca desses lugares ou regiões do mundo marcadas pelas noções de vazio, primitivo, carente de civilização, distante, desértico etc, como se essas regiões preexistissem às narrativas que as inventaram. Daí o tema que vou abordar: a descolonização como um processo inconcluso”, detalha o pesquisador.

O seminário “Pan-Amazônia e Áfricas: terras [des]colonizadas” será realizado nos dias 2 e 3 com a participação, ainda, de professores da Universidade Federal do Pará (UFPA) e da Guiana Francesa. A programação completa da Feira Pan-Amazônica está disponível no site www.feiradolivro.pa.gov.br/programacao.

image_banner

Postado em: 1/6/2016

Romance Mad Maria é tema de dissertação defendida no PPGLI

Ocorreu na manhã do dia 31 de maio, a defesa pública de dissertação da mestranda Luciana Maira de Sales Pereira, intitulada “Dos trilhos da literatura à estação de TV: uma análise intersemiótica do romance Mad Maria, de Márcio Souza”

Participaram da Banca Examinadora o Prof. Dr. Milton Chamarelli Filho – Presidente/Co-orientador – UFAC, o Profa. Dra. Francielle Maria Modesto Mendes – Membro – UFAC e o Prof. Dr. Miguel Nenevé – Membro – UNIR