Dissertação sobre Educação Inclusiva é defendida no PPGLI

Com o tema “Práticas de letramento para alunos com deficiência em uma escola comum inclusiva em Cruzeiro do Sul/Acre”, a mestranda Sônia Elina Sampaio Enes defendeu sua dissertação na manhã do dia 31 de agosto.

Participaram da Banca Examinadora a Profa. Dra. Maria Aldecy Rodrigues de Lima – Presidente/Orientadora – UFAC, a Profa. Dra. Tânia Mara Rezende Machado – Membro – UFAC e a Profa. Dra. Aline Cleide Batista – Membro – UFPB.

Conferência de Eliane Potiguara marca o segundo dia do Seminário Linguagens e Culturas Indígenas

IMG_1833.JPGA escritora e ativista indígena, Eliane Potiguara, foi uma das personalidades convidadas para o primeiro Seminário Linguagens e Culturas Indígenas, realizado na Universidade Federal do Acre (Ufac).

Durante a conferência “A necessidade da literatura diante do mundo globalizado” Potiguara falou da literatura indígena, da construção e formação da identidade indígena e ainda dos desafios da cultura de paz.

“Quando escrevemos, pintamos, dançamos, estamos enfrentando esse mundo capitalista, neoliberal, globalizado que quer nos diminuir como ser humano”, ressalta Potiguara.

A escritora disse ainda que as pessoas precisam se envolver com as causas sociais e políticas para que o mundo se transforme em lugar melhor: “Nossa missão na terra é promover a paz”, disse lembrando que enquanto isso não for prioridade o mundo continuara desigual.

A conferência foi realizada na tarde desta terça-feira, 30, no bloco da Pós-Graduação da Ufac.

Potiguara

Eliane Potiguara tem um currículo extenso, foi uma das brasileiras indicada ao projeto internacional “Mil mulheres ao prêmio Nobel da Paz”, em 2005. É fundadora do Grupo Mulher – Educação Indígena (GRUMIN) e trabalhou na construção da Declaração Universal dos Direitos Indígenas na ONU em Genebra.

A ativista que também é professora tem várias obras publicadas, dentre elas, “Metade Cara, Metade Máscara”, “O Coco que Guardava a Noite”, “A Cura da Terra” e o “Pássaro Encantado”.

PublicaçãoLogo Nepan

Um dos legados do seminário é pareceria feita com a Nepan Editora, vinculada ao Núcleo de Estudos das Culturas Amazônicas e Pan-Amazônicas, para publicação em E-Book do livro “Metade Cara, Metade Máscara”, que em breve será disponibilizado ao público gratuitamente.

Seminário

O Seminário Linguagens e Culturas Indígenas teve início na segunda-feira, 29, e encerra na quarta-feira, 31.  As atividades estão acontecendo no bloco dos mestrados da Ufac.

Além de palestras, oficinas e conferências, o visitante do evento pode ainda comprar cerâmica Apurinã, filmes, games, pôsteres, colares e brincos Huni Kuin.

O evento é uma ação do Programa de Pós-Graduação em Letras e do Programa de Extensão Escambos Culturais: Linguagens Artísticas, Saberes Acadêmicos e Não Acadêmicos, em conjunto com o Conselho de Missão entre Povos Indígenas (Comin).

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

 

 

Seminário sobre linguagens e culturas indígenas começa na Ufac

Seminário sobre linguagens e culturas indígenas começa na Ufac

Iniciou na manhã desta segunda-feira, 29, na Universidade Federal do Acre (Ufac), o 1º Seminário de Linguagens e Culturas Indígenas. O evento é aberto ao público e acontece até o dia 31, no bloco dos Mestrados, com o objetivo de refletir sobre a necessidade de não dicotomizar as relações entre língua e literatura, além de discutir as culturas e os modos de vida de distintos povos indígenas.

O seminário é um desdobramento do 9º Simpósio Linguagens e Identidades da/na Amazônia Sul-Ocidental, que tratou de línguas e literaturas indígenas. O coordenador do programa de pós-graduação em Letras: Linguagens e Identidade, mestrado da Ufac, Gerson Albuquerque, pretende manter ações em parceria com os povos indígenas para realização de oficinas. “Queremos que os indígenas entrem na universidade na condição de professores”, disse. “Existe um debate interno entre os indígenas, pelo qual eles afirmam que a universidade tem iniciativas para eles, mas é preciso fazer ‘com’ eles. Eles têm muito a nos ensinar.”

O evento é uma realização da Ufac, por meio do programa de mestrado em Letras e do programa de extensão Escambos Culturais: Linguagens Artísticas, Saberes Acadêmicos e Não Acadêmicos, em parceria com o Conselho de Missão entre Povos Indígenas (Comin).

Para a coordenadora do programa de extensão Escambos Culturais: Linguagens Artísticas, Saberes Acadêmicos e Não Acadêmicos, Raquel Ishii, o objetivo maior do seminário é promover e difundir a cultura indígena, compreendendo seus conhecimentos. “Os saberes indígenas são tão importantes quanto os saberes acadêmicos”, afirmou a professora. “Isso é próprio da extensão: a troca e a relação, sem hierarquia, entre a universidade e a sociedade.”

A programação inclui exposição de cerâmica, oficinas, mesas-redondas, conferências e apresentações musicais. A artista plástica Narubia Werreria, a escritora Eliane Potiguara e o Movimento dos Artistas Huni Kuin (Mahku) são alguns dos convidados.

Postado em: 29/8/2016

Fonte: ASCOM/UFAC

Formação de professores de espanhol é tema de dissertação defendida no PPGLI

Ocorreu na tarde do dia 29, a defesa da dissertação intitulada “O lugar da cultura boliviana no currículo modelado: uma experiência na formação de professores de Espanhol no Acre”, de autoria do mestrando Cleilton França dos Santos.

Participaram da Banca Examinadora Profa. Dra. Tânia Mara Rezende Machado – Presidente/Orientadora – UFAC, Profa. Dra. Valda Inês Fontenele Pessoa – Membro – UFAC e Profa. Dra. Ednaceli Abreu Damasceno – Membro – UFAC.

Inscrições para o Seminário de Linguagens e Culturas Indígenas estão abertas

Folder 1Estão abertas para a comunidade em geral, as inscrições para o I Seminário de Linguagens e Culturas Indígenas, que será realizado na Universidade Federal do Acre (Ufac), no câmpus de Rio Branco, de 29 a 31 deste mês.

Para participar é necessário acessar a página e fazer a inscrição através do endereço eletrônico:  https://goo.gl/opnwDB.

O seminário tem como objetivo refletir sobre a necessidade de não dicotomizar as relações entre língua e literatura e ainda discutir sobre as culturas e os modos de vidas de distintos povos indígenas.

Programação

Além de contar com a presença de convidados de renome, como a artista plástica Narubia Werreria, a escritora Eliane Potiguara, e os artistas do MAHKU, a programação inclui ainda exposições de cerâmicas, oficinas, mesas redondas, conferências e apresentações musicais.

O evento é uma realização da Ufac, por meio do programa de Pós-graduação em Letras: Linguagens e Identidade e do Programa de Extensão Escambos Culturais: Linguagens artísticas, saberes acadêmicos e não acadêmicos, em parceria com o Conselho de Missões entre povos indígenas do Acre (COMIN-AC).

“O seminário é um desdobramento do tema “Línguas e Literaturas Indígenas”, abordado no IX Simpósio Linguagens e Identidades do ano passado. Durante os debates percebemos a necessidade de ampliar as discussões e viabilizarmos a realização desse encontro, explica Raquel Ishii, membro da comissão de organização do evento na Ufac.Folder 2

ASCOM/GPHCLIM

Clique aqui para a acessar o Folder