XIII Congresso Linguagens e Identidades

XIII LIA.png

XIII LIA – CONGRESSO DE LINGUAGENS E IDENTIDADES DAS/NAS AMAZÔNIAS

“Palavras múltiplas e educação poética contra interdições fascistas”

Campus da UFAC, 7 e 8 de novembro de 2019

 

Primeira Convocatória

No ano de 2007, a partir da iniciativa de um grupo de alunos e professores do Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade (PPGLI), surgiu a ideia de realizar um evento acadêmico que pudesse dar conta das discussões que vinham se formulando no interior desse programa e servir como canal para o trânsito de pesquisas e pesquisadores de diferentes instituições e regiões, tendo como local de encontros o campus da Universidade Federal do Acre – Ufac. Nasceu então o Simpósio Linguagens e Identidades da/na Amazônia Sul-Ocidental.

Desse modo, desde aquele momento inaugural até 2016, por dez anos ininterruptos, a cidade de Rio Branco passou a ser referência para o encontro de centenas de pesquisadores, estudantes, professores a atividades de movimentos sociais das cidades e florestas em constantes diálogos e intercâmbios de saberes e conhecimentos no interior da universidade. Ao longo dos dez primeiros anos, o simpósio foi ganhando proporções de significativa envergadura, ganhando a face de um congresso internacional e lugar de encontro de intelectuais de diferentes nacionalidades, especialmente, a partir das parcerias entre a UFAC, a PUC de São Paulo, a UFG e a Universidade do Texas, resultado do Convênio Capes/UT.

A este evento, somou-se o Colóquio Internacional as Amazônias, as Áfricas e as Áfricas na Pan-Amazônia e o PPGLI da Ufac se transformou em ponto de encontro para o debate em torno das grandes questões acadêmicas, políticas e culturais presentes no campo das linguagens e humanidades. Não por acaso, e apenas para dar uma dimensão da natureza desses encontros e do porte das temáticas e relevantes discussões travadas em seu interior, citamos alguns dos conferencistas e debatedores participantes que já estiveram conosco em diferentes momentos desse duplo evento: Mary Louise Pratt (Universidade de Nova Iorque,) Luiz Paulo da Moita Lopes (UFRJ), Maria Antonieta Antonacci (PUC-SP), Francisco Foot Hardman (Unicamp), Luis Alberto López Herrera (Saint Lambert, Quebec, Canadá), Jossianna Arroyo-Martínez (Universidade do Texas), José Ribamar Bessa Freire (UERJ/Uni-Rio), Guillermo Mariaca Iturri (Universidad Mayor de San Andrés, Bolívia), Durval Muniz de Albuquerque Júnior (UFRGN), Boubacar Barry (Universidade Cheikh Anta Diop – Senegal), Rosa Elizabeth Acevedo Marin (UFPA), Robert Lee Adams Jr. (DePaul University, Chicago), María Clotilde Chavarría Mendoza (Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Peru), Leopoldo Marcos Garcia Lopes Bernucci (Universidade da Califórnia), Eliseo Lopez Cortes (Universidade de Guadalajara), Dennis Albert Moore (Museu Paraense Emílio Goeldi), Christen A. Smith (Universidade do Texas), Ana Pizarro (Universidade de Santiago do Chile), Aldir Santos de Paula (UFAL), Abdelhak Razky (UFPA), Roxane Rojo (Unicamp), Demerval da Hora (UFPB), Nelson Maldonado-Torres (Rutgers Unniversity, New Jersey), Paula Tatianne Carréra Szundy (UFRJ), dentre outros intelectuais de universidades e organizações sociais amazônicas.

No ano de 2017, resultado das parcerias e consolidação do evento, o Simpósio Linguagens e Identidades foi realizado no campus da Universidade Federal de Rondônia e, no ano de 2018, fundindo fronteiras amazônicas e andinas, foi realizado na cidade de Lima, Peru, tendo como anfitriã a Universidad para el Desarrollo Andino (UDEA). Tais experiências e os resultados desses intercâmbios fronteiriços de natureza acadêmico-política propiciaram a formulação da presente chamada para a XIII edição desse evento, assumindo no nome a marca que o distinguiu de outros eventos locais/regionais, ou seja, a sua característica não apenas de um simpósio, mas um Congresso de Linguagens e Identidades nas/nas Amazônias.

Mais informações em: http://www.congressolia.org