Discurso de Ulysses Guimarães é tema de dissertação defendida no PPGLI


“Frente à contemporânea política brasileira, em que a maioria dos parlamentares pátrios engendram discursos conservadores, neoliberais, dissonantes com os reais anseios do povo, notadamente os hipossuficientes, bem como erigem políticas públicas de retrocesso social, na pesquisa realizada analisamos a fala do Deputado Federal Constituinte Ulysses Guimarães quando da solenidade de promulgação da Constituição Federal de 1988, em 5 de outubro daquele ano.”. Com essas palavras, o aluno do Mestrado em Letras: Linguagem e Identidade da Ufac, Tayson Ribeiro Teles, sintetiza o tema de sua dissertação defendida na tarde do dia 15 de dezembro, no Auditório da Pós-Graduação da Ufac, cujo título é “A fala de Ulysses Guimarães no ato promulgador da Constituição de 1988: uma análise bakhtiniana”.

Tayson elegeu o filósofo e historiador russo marxista Mikhail Bakhtin para promover suas análises, tendo em vista a fala de Ulysses ser, segundo o mestrando, “um signo ideológico totalmente vinculado ao seu contexto de produção. Na relação ato humano-contexto, Bakhtin nos faz perceber que a fala de Ulysses não foi um ato particular, individual, interno ou interior de Ulysses, mas sim uma fala social (coletiva), que traz em si um ‘discurso social’ presente no Brasil, desde o movimento das ‘Diretas Já'”, afirma Teles.

Formado em Administração Financeira, técnico-administrativo da UFAC e aluno do curso de Direito da mesma instituição, Tayson confessa que cursar o mestrado em Letras foi um desafio para ele. “A Administração e o Direito são conhecimentos em demasiado positivistas, estruturalistas, tecnicistas e alienantes. Doutrinadores forjam teorias que perduram sendo aceitas como verdade por séculos, como se a realidade não se modificasse, novas ideologias não surgissem. Dinheiro, poder e egoísmo integram o baldrame dessas ditas ‘Ciências’. Busquei o mestrado [em letras] para problematizar, no limite de minha pesquisa, a sociedade em que vivo, bem como minha vida. Foram 2 anos incríveis. A multi, inter e transdisciplinariedade do programa permitiram-me leituras fenomenais.”, avalia.

A banca examinadora da defesa da dissertação foi composta pelo Prof. Dr. Elder Andrade de Paula, presidente e orientador, pelo Prof. Dr. Silvio Simione da Silva, membro interno e pela Profa. Dra. Paula Tatiana da Silva, membro externo. Ao término de sua arguição, a Profa. Paula Tatiana dirigiu-se ao mestrando, parabenizando-o por ter se disposto a realizar pesquisa na área de letras. “Apesar de não ser formado nessa área, você desenvolveu um estudo em Linguística Aplicada. Existe muita polêmica em torno do debate da área. Muitos se acham donos dela, mas nós não somos.”, finalizou.

Tayson Ribeiro Teles é mais um dos mestrandos do PPGLI a defender sua dissertação em tempo recorde: 21 meses. O tempo máximo é de 24 meses. Sobre este aspecto, o Prof. Dr. Elder Andrade, orientador da pesquisa, reafirma o mérito do trabalho do recém mestre. “Desde o Seminário de Pré-Qualificação, em maio deste ano, Tayson já possuía muita densidade em sua pesquisa. Isso, somado à intensa dedicação às leituras, possibilitou que ele concluísse sua dissertação antes do prazo previsto, mesmo tendo que estudar e trabalhar”, enfatizou.

img_3637

2016 – Defesa de dissertação de Tayson Ribeiro Teles

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: