“Meus horários de estudo eram a partir das 23 horas”, diz professor que defendeu dissertação na tarde desta quarta-feira no Mestrado em Letras da Ufac

“Chegar aqui com certeza não foi nada fácil”, com essas palavras o aluno do Mestrado em Letras: Linguagem e Identidade e professor do Curso de Música da Universidade Federal do Acre, Raildo Barbosa, resumiu todo o seu percurso.  Barbosa é o primeiro aluno do Mestrado em Letras a defender sua dissertação no prazo de vinte meses, sendo o prazo máximo de 24 meses. Ele defendeu sua pesquisa nesta quarta-feira, 30, com o título “Entre práticas e representações: o festival acreano de música popular – Famp”

“Durante esse tempo eu tive muitas dificuldades. A primeira delas é a falta de tempo para o estudo, pois além de me dedicar ao mestrado eu sou professor da instituição e não consegui liberação de carga horária. Trabalhei sempre com quatro disciplinas e ainda com algumas orientações de graduandos e projetos de extensão. Além disso, também tenho minha família e não poderia de modo algum deixá-la de lado. Então eu me organizei com o pouco tempo vago que eu tinha para estudar. Reservei as noites, no horário a partir das 23 horas para realizar as leituras. Coloquei isso como meta nesses dois anos. Então eu lia das 23 às 5 da manhã. Enfim, é preciso ter muito foco.”, explica.

A pesquisa de Raildo Barbosa analisa as práticas culturais e representações do festival acreano de música popular, mais conhecido como Famp. “Eu analisei algumas práticas culturais como a prática de compor e algumas representações como ‘o seringueiro’ e a ‘Amazônia’, discutindo como foram representadas na melodia e na música.”, completou o mestrando.

O professor doutor Marcello Messina, orientador da pesquisa, disse o aluno Raildo sempre foi muito focado. “O sucesso dessa pesquisa é todo dele. Tenho um orgulho particular muito grande. Primeiro porque ele é o primeiro aluno que eu oriento no Brasil e depois porque somos músicos, compositores, trabalhamos com criatividade, além de trabalhar com crítica. Apesar de ser um trabalho com um foco local, é um trabalho que com certeza vai virar referência para trabalhar festivais em todo o mundo”, enfatizou o orientador.

Gerson Albuquerque, Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade e membro da banca examinadora da dissertação do aluno Raildo, diz que esse resultado positivo do aluno também mostra o tipo de procedimento que adotaram dentro do Mestrado em Letras.

“Por orientação da própria Capes, realizamos exames de pré-qualificação em maio deste ano e isso ajudou muito os alunos a pensarem suas próprias questões, sem a pressão de estarem sendo julgados como aprovados ou reprovados. A defesa desse aluno mostra muito empenho de alguém que não foi dispensado de suas atividades de professor da Ufac e não recebeu nenhum tipo de auxílio financeiro, então, nós temos, com certeza, muito que comemorar”, completou Albuquerque.

Outro professor que participou como membro externo na banca foi o doutor João Veras, que conta que o ideal ao realizar uma pesquisa é que o aluno realmente tenha tempo para os estudos, para a leitura, aula, escrita. Não foi o que aconteceu com o Raildo. “Além dele não ter sido liberado de suas atividades, ainda conseguiu concluir num tempo recorde de vinte meses. Ele conseguiu fazer um bom trabalho e desenvolver uma escrita. As adversidades em nada prejudicaram o resultado final do seu trabalho.”, finalizou Veras.

Sobre a defesa antes do prazo

A defesa antes do prazo de vinte e quatro meses é fator positivo para o quadro de avaliação do Programa de Pós-Graduação em Letras da Ufac. É o que avalia o Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Josimar Batista. “Os cursos de pós-graduação são avaliados pela Capes a cada quatro anos e quando o aluno defende antes do prazo é muito bom para a avaliação do curso. Estamos trabalhando para melhorar a nota e subir para o conceito 4.”, avalia Batista.

img_3387

2016 – Defesa de dissertação de Raildo Brito Barbosa

 

%d blogueiros gostam disto: