10 ° Simpósio Linguagens e Identidades tem recorde de inscrições de trabalhos

CabeçalhoA edição 2016 do Simpósio Linguagens e Identidades registrou recorde de inscrição em Grupos de Trabalhos (GTs) e Sessões de Comunicações Livres. Ao todo, 490 resumos de comunicações orais foram submetidos nos eixos temáticos e GTs do evento.

Os participantes estão divididos entre alunos de graduação, pós-graduação, professores do ensino básico e superior, comunidade externa e técnicos administrativos. O 10º Simpósio Linguagens e Identidades da/na Amazônia Sul-Ocidental será realizado no câmpus sede da Ufac, de 7 a 11 de novembro.

Os números foram tão expressivos que surpreenderam até mesmo a equipe de organização. “Sempre trabalhamos pensando no melhor e esperando que um maior número de pessoas pudesse participar, mas os números desse ano realmente nos impressionaram.

Hoje temos 322 resumos inscritos em grupos de trabalhos e 168 em Sessões de Comunicações Livres. Sem dúvida, o Simpósio Linguagens e Identidades está muito bem acolhido pela comunidade acadêmica da Ufac e de outros estados da região norte, como Rondônia e Pará”, ressaltou a professora e coordenadora do Simpósio, Francemilda Lopes.

Dentre os participantes, estão inscritos alunos e professores do Peru e Austrália e de quatro regiões do Brasil: Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste, além do Distrito Federal.

O resultado final das avaliações dos trabalhos será divulgado no dia 08 de agosto.

O que é o Simpósio Linguagens e Identidades?

O evento surgiu em 2007 com o objetivo de possibilitar a abertura de espaços dialógicos e reflexões sobre as questões relacionadas às linguagens e identidades amazônicas, por meio de oficinas, grupos de trabalho, minicursos, mostras, espetáculos, comunicações livres e conferências em diferentes áreas do conhecimento, promovendo

Este ano traz para o debate o tema “Trânsitos Pós-coloniais e decolonialidade de saberes e sentidos”. A temática é resultado das leituras e discussões de “O Atlântico Negro”, de Paul Gilroy; “Introdução a uma poética da diversidade”, de Édouard Glissant; “Da diáspora”, de Stuart Hall; “A modernidade líquida”, de Zygmunt Bauman; “Reflexões sobre o exílio”, de Edward Said; “Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina”, Aníbal Quijano, e “Paisagens imaginárias”, de Beatriz Sarlo, no âmbito do Grupo de Pesquisa História e Cultura, Linguagem, Identidade e Memória, bem como das aulas de “Sociedade, linguagem e diversidade amazônica”, do Curso de Mestrado em Letras: Linguagem e Identidade, desde o primeiro semestre do ano letivo do ano de 2007.

Mais informações podem ser obtidas no site do evento:

http://www.simposioufac.com/ ou pelo e-mail:

linguagens.identidades.ufac@gmail.com

ASCOM/GPHCLIM

 

%d blogueiros gostam disto: