Amazônia e incentivo à pesquisa foram as temáticas abordadas no VIII Simpósio de Letras da Ufac

Amazônia e incentivo à pesquisa foram as temáticas abordadas no 8º Simpósio de Letras da Ufac

“O simpósio deixou de ser um evento da Ufac e passou a ser um acontecimento da Ufac”, declarou o professor e um dos organizadores do 8º Simpósio “Linguagens e Identidades da/na Amazônia Sul-Ocidental” e do 7º Colóquio Internacional “As Amazônias, as Áfricas e as Áfricas na Pan-Amazônia”, Gerson Albuquerque.

O evento que ocorreu na Universidade Federal do Acre (Ufac), entre os dias 3 e 7 de novembro reuniu cerca de 500 pessoas entre palestrantes, participantes e ouvintes. Sessões de comunicações livres, grupos de trabalho, minicursos, palestras e apresentações culturais fizeram parte da programação do simpósio.

Segundo o professor, o simpósio é um acontecimento que está mais voltado para espaços de apresentações de resultado de pesquisa. “Quando você apresenta já tem um resultado imediato, porque o aluno faz a pesquisa solitariamente, mas quando ele apresenta, o ato de falar sobre a pesquisa o leva a pensar sobre ela. Então essa apresentação é um espaço também de produção de resultado”, disse. Albuquerque destaca ainda que o simpósio ganha pela proposta de manter essa relação com pesquisadores de outros locais, outras nacionalidades, o que aponta para novos caminhos de pesquisa e de investigação.

Avacir Gomes é professora da Universidade Federal de Rondônia (Unir), campus Rolim de Moura, e possui um Grupo de Estudo e Pesquisa sobre as Espacialidades Amazônicas (GEAM), que é a tentativa de compreender qual é a interferência da cultura de grupos humanos que se adentram e se apropriam de determinados espaços. A metodologia desenvolvida na pesquisa é através da história oral.

“Olhando a programação vi que teria um minicurso sobre história oral, então incentivei minhas orientandas a apresentarem as pesquisas no simpósio. E aqui nós participamos de todas as atividades como comunicações livres, minicurso, as palestras e as atividades culturais. O que importa é a riqueza dessas atividades. Troca de experiências e participar de um evento que está acontecendo aqui e simultaneamente em outro lugar e você tem que escolher qual que vai atender melhor suas expectativas, então o evento foi muito bom e ano que vem espero estar aqui novamente”, contou Gomes.

Para a monitora Ghislaine Brito, do curso de Letras/Espanhol, participar de eventos com caráter científico é muito importante durante a vida acadêmica. “Na universidade são eventos como esse que nos propõe a manter relações com outros cursos e com outras pessoas que vem de fora. Então além de ampliar a nossa visão de mundo como estudantes da universidade, ainda nos possibilita participar de minicursos tão importantes como o que fiz que envolvia questões e métodos de pesquisas”, relatou.

Postado em: 10/11/2014

Fonte: ASCOM/UFAC

%d blogueiros gostam disto: